sábado, 15 de junho de 2013

Conjunções Coordenativas, Subordinativas e locuções conjuntivas (com questões)

Conjunção

A palavra “conjunção” provém de “conjunto”. Vejamos a definição do último termo no dicionário Aurélio: Conjunto: adj. 1. Junto simultaneamente. sm. 2 Reunião das partes dum todo.
Já o sufixo -ção tem significado de “resultado de uma ação”. Logo, se associarmos as duas definições, temos que: conjunção é a ação de juntar simultaneamente as partes de um todo.
Com essa primeira definição, vejamos essa frase composta por três verbos, ou seja, por três orações:

Os dias passam, as prestações chegam, a vida continua.

Vamos acrescentar na frase acima as palavras e e mas:

Os dias passam e as prestações chegam, mas a vida continua.

Notamos o seguinte: retiramos a vírgula e substituímos por palavras, e ao fazê-lo ligamos uma oração à outra, criamos um vínculo, uma união. A palavra e está ligando as orações 1 e 2 e a palavra mas está ligando as orações 2 e 3. Portanto, as palavras e e mas que unem as frases são exemplos de conjunção.
Agora, vejamos esse outro exemplo:

Amor e carinho são sentimentos que estão em falta no nosso dia a dia.

Observamos que as palavras amor e carinho têm a mesma função na frase, a de sujeito da oração. O e está ligando essas duas palavras equivalentes, ou seja, de mesma função na oração. A ação de unir simultaneamente as partes (amor, carinho) de um todo (sujeito) foi feita a partir da palavra e, a qual é, portanto, uma conjunção.

Podemos agora definir conjunção de uma segunda maneira, a usada pela maioria dos gramáticos, por ser definição do dicionário:

Conjunção é a palavra invariável que relaciona duas orações ou dois termos que exercem a mesma função sintática.

Partindo desses pressupostos, vamos interagir com as respectivas características que norteiam ambas as modalidades. Vejamo-las: 

Conjunções Coordenativas



Conjunções subordinativas 

As orações subordinadas, como já expresso, caracterizam-se pela relação de dependência que a subordinada estabelece com a oração principal. São classificadas em substantivas, adjetivas e adverbiais. 

As conjunções integrantes introduzem as orações subordinadas substantivas, as quais exercem a função de sujeito, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, aposto e predicativo. 

Ex: Não sabemos se ela realmente virá.                         
Or. subordinada substantiva objetiva direta (exercendo a função de objeto direto)

As conjunções subordinativas introduzem orações subordinadas adverbiais, exprimindo, portanto, várias circunstâncias relacionadas ao advérbio. Analisemos, pois, como são classificadas:

Conjunções subordinativas 



Locução conjuntiva

Recebem o nome de locução conjuntiva os conjuntos de palavras que atuam como conjunção. Essas locuções geralmente terminam em "que"Observe os exemplos:


visto que
desde que
ainda que
por mais que
à medida que
à proporção que
logo que
a fim de que


Ex: Ele irá te ajudar, desde que você faça a sua parte.

Temos duas orações: “Ele irá te ajudar” e “você faça a sua parte”, ligadas pela locução conjuntiva desde que.


Atenção:
Muitas conjunções não têm classificação única, imutável, devendo, portanto, ser classificadas de acordo com o sentido que apresentam no contexto. Assim, a conjunção que pode ser:

1. Aditiva ( = e)
Por exemplo:


Esfrega que esfrega, mas a mancha não sai.
2. Explicativa
Por exemplo:


Apressemo-nos, que chove.
3. Integrante
Por exemplo:


Diga-lhe que não irei.
4. Consecutiva
Por exemplo:


Onde estavas, que não te vi?
5. Comparativa
Por exemplo:


Ficou vermelho que nem brasa.

6. Concessiva
Por exemplo:



Beba, um pouco que seja.
7. Temporal
Por exemplo:


Chegados que fomos, dirigimo-nos ao hotel.
8. Final
Por exemplo:


Vendo o amigo à janela, fez sinal que descesse.
9. Causal
Por exemplo:


"Velho que sou, apenas conheço as flores do meu tempo." (V.Coaraci)
Questões sobre conjunção

1) (FUNCAB – 2010 – SEJUS-RO – Contador) Releia-se o que escreve Beccaria:

“Contudo, se o roubo é comumente o crime da miséria e da aflição, se esse crime apenas é praticado por essa classe de homens infelizes, para os quais o direito de propriedade (direito terrível e talvez desnecessário) apenas deixou a vida como único bem, [.......] as penas em dinheiro contribuirão tão-somente para aumentar os roubos, fazendo crescer o número de mendigos, tirando o pão a uma família inocente para dá-lo a rico talvez criminoso.” (parágrafo 5) 
A palavra ou locução que, usada no espaço entre colchetes deixado no período, fortalece a conexão lógica entre as orações adverbiais condicionais e o que ele afirma a seguir é:

a) inclusive.
b) além disso.
c) então.
d) por outro lado.
e) mesmo.

2) (FGV – 2010 – DETRAN-RN – Assessor Técnico – Contabilidade) “… e eu sou acaso um deles, conquanto a prova de ter a memória fraca…”; a oração grifada traz uma ideia de:

a) Causa.
b) Consequência.
c) Condição.
d) Conformidade.
e) Concessão.

3) (CONSULPLAN – 2006 – INB – Analista de Sistemas) “Já a produção de petróleo não é suficiente para atender à demanda, embora a dependência externa no setor tenha conhecido…” O termo “embora”, nesse fragmento, estabelece relação lógico-semântica de:

a) Condição.
b) Adição.
c) Conformidade.
d) Concessão.
e) Tempo.

4) (COPEVE-UFAL – 2010 – CASAL – Advogado) Em qual período o se é uma conjunção integrante?

a) “Paraquedista se prepara para romper a barreira do som com salto da estratosfera.”
b) “Um tecido comum pegaria fogo se fosse exposto diretamente a essa radiação.”
c) “Sabe-se também que a alimentação materna pode ter impacto na chance de a criança vir a desenvolver câncer.”
d) “Marilyn Monroe morreu aos 36 anos de forma trágica, vítima de uma overdose de medicamentos que até hoje não se sabe se foi intencional, acidental ou provocada por alguma misteriosa conspiração política.”
e) “Não fale rápido demais. Se sua dicção não for boa, ninguém irá entender o que você diz.”

5) (FCC – 2012 – TCE-AP – Técnico de Controle Externo) Preços mais altos proporcionam aos agricultores incentivos para produzir mais, o que torna mais fácil a tarefa de alimentar o mundo. Mas eles também impõem custos aos consumidores, aumentando a pobreza e o descontentamento. (início do 2o parágrafo)
A 2ª afirmativa introduz, em relação à 1ª , noção de:

a) condição.
b) temporalidade.
c) consequência.
d) finalidade.
e) restrição.

6) (PUC-SP) – Em: “... ouviam-se amplos bocejos, fortes como o marulhar das ondas...” a partícula como expressa uma ideia de: 

a) causa 
b) explicação 
c) conclusão 
d) proporção 
e) comparação 

7) (FUVEST – SP) – “Entrando na faculdade, procurarei emprego”, oração sublinhada pode indicar uma idéia de: 

a) concessão 
b) oposição 
c) condição 
d) lugar 
e) conseqüência 

8) (Univ. Fed. Santa Maria – RS) – Assinale a sequência de conjunções que estabelecem, entre as orações de cada item, uma correta relação de sentido. 

1. Correu demais, ... caiu. 
2. Dormiu mal, ... os sonhos não o deixaram em paz. 
3. A matéria perece, ... a alma é imortal. 
4. Leu o livro, ... é capaz de descrever as personagens com detalhes. 
5. Guarde seus pertences, ... podem servir mais tarde. 

a) porque, todavia, portanto, logo, entretanto 
b) por isso, porque, mas, portanto, que 
c) logo, porém, pois, porque, mas 
d) porém, pois, logo, todavia, porque 
e) entretanto, que, porque, pois, portanto 

9)  (Mackenzie- SP) Assinale “como” assume a mesma função que exerce em como fosso trazido à sua presença um pirata.

a)   Como você conseguiu chegar até aqui?
b)   Como todos podem ver, a situação não é das melhores.
c)   Não só leu os livros indicados, como também outros de interesse pessoal.
d)  Como não telefonou, resolvi procurá-lo pessoalmente.
e)   O arquiteto projetou o jardim exatamente como lhe pediram.

10) (AFR-Vunesp) A alternativa que substitui, correta e respectivamente, as conjunções ou locuções grifadas nos períodos abaixo é:

I.    Visto que pretende deixar-nos, preparamos uma festa de despedia.
II.   Terá sucesso, contanto que tenha amigos influentes.
III. Casaram-se e viveram felizes, tudo como estava escrito nas estrelas.
IV. Foi transferido, portanto não nos veremos com muita frequência.

a)    porque, mesmo que, segundo, ainda que
b)    como, desde que, conforme, logo
c)    quando, caso, segundo, tão logo
d)   salvo se, a menos que, conforme, pois
e)   pois, mesmo que, segundo, entretanto

11) (FUVEST-SP) "Podem acusar-me: estou com a consciência tranqüila." Os dois pontos (:) do período acima poderiam ser substituídos por vírgula, explicitando-se o nexo entre as duas orações pela conjunção:

a) portanto.        
b) e.       
c) como.        
d) pois.         
e) embora.

12) (UEL-PR) Não gostava muito de novelas policiais; admirava, porém, a técnica de
seus autores.

a) visto como      b) enquanto       c) conquanto       d) porquanto      e) à medida que

13) (CESGRANRIO-RJ) Assinale o período em que ocorre a mesma relação significativa indicada pelos termos destacados em "A atividade científica é tão natural (quanto qualquer outra atividade econômica)".

a) Ele era tão aplicado, que em pouco tempo foi promovido.
b) Quanto mais estuda, menos aprende.
c) Tenho tudo quanto quero.
d) Sabia a lição tão bem como eu.
e) Todos estavam exaustos, tanto que se recolheram logo.

14) Observe

“Este é um pais rico, ______ a maior parte de seu povo seja muito pobre.”
“É necessário lutar ______ seus sonhos se tomem realidade.”
“Não foi classificado, ______ não. conseguiu realizar a última prova de aptidão.”
“Viajou para o exterior, _______ concluiu seus estudos no Brasil.”
 As locuções conjuntivas que relacionam corretamente as orações acima são respectivamente,

a) já que, para que, uma vez que, visto que.                               
b) ainda que, para que, visto que, logo que.
c) ainda que, mesmo que, apesar de quc, já que.                       
d) mesmo que, desde que, apesar de que, assim que.

15) A palavra que aparece como conjunção final apenas em:

a) “Que careta feia é essa? Que careta feia!” (Olodum)
b) “... e o marido (...) consentiu  que seu filho lhe dirigisse a palavra.” (Camilo Castelo Branco)
c) “A quem estais carregando irmão das almas? (...) dizei que eu saiba.” (J. Cabral)
d) ”Afastemos indiscretamente uma dobra do reposteiro  que recata a câmara nupcial.”

16) Assinale a alternativa em que ocorre erro no uso da conjunção ou locução conjuntiva.

a) Podem acusar-me, portanto estou com a consciência tranquila.
b) Que não pedes um diálogo de amor á claro, desde que imponhas a cláusula da meia-idade.
c) Da própria garganta saiu um grito de admiração, que ele acompanhou, embora com menos entusiasmo.
d) Estava distraído, de forma que não o vi passar.

17) Em qual frase abaixo, a conjunção ”e” apresenta ideia de adversidade.

a) “... seja essa pequena nota com um PG a lápis e  uma assinatura...”
b) “... revelam apenas a imaginação desordenada e o capricho estranho...”
c) “... respondi com frieza a muita bondade e paguei com ingratidão...”
d) “... que “S.” tenha encontrado em mim um apoio e  não  uma decepção”.

18) Observe o emprego das conjunções nos períodos abaixo.

I. Ora Maria estuda História, ora ela ouve música.

II. Ou você estuda História, ou você ouve música.

III. Se você for estudar História, não ouvirá música.

IV. Se você for ouvir música, não estudará História.

Levando em consideração que a conjunção é um dos elementos linguísticos responsáveis pela orientação argumentativa do discurso, é correto afirmar:

1) O sentido de alternância só ocorre no caso de I, pois é possível que a pessoa, no caso Maria, faça as duas coisas: estudar e ouvir música.
2) Em II, III e IV não existe a possibilidade de as duas coisas se realizarem, porque há a ideia de uma exclusão explícita, marcada tanto pela conjunção “ou” como pela conjunção “se”.
4) A idéia de alternância está presente em todos os períodos, uma vez que se trata de períodos compostos por orações subordinadas alternativas.
8) A alternância é nítida em II, III e IV, que são períodos cujas orações classificam-se como “condicionais”.
16) A conjunção “ou” nem sempre expressa exclusão.

19) No período "Os banqueiros já puderam comemorar o investimento, pois o índice de risco e de instabilidade do Brasil caiu", a conjunção pois estabelece uma relação de:

a) explicação
b) oposição
c) condição
d) causa
e) comparação

20) Observe atentamente os segmentos ainda não contidos pelo estigma de improdutivos e ainda não constrangidos pela impaciência. No contexto, eles

a) expressam idéias que estão unicamente justapostas, sem nenhuma outra relação entre elas.
b) expressam, respectivamente, uma causa e uma conseqüência.
c) estão em relação de alternância.
d) expressam dois desejos, por isso estão associados como se estivessem unidos pela conjunção e.
e) expressam comparação entre dois fatos.


21) A análise de uma conjunção está intrinsecamente ligada ao contexto no qual é empregada, visto que um mesmo conectivo pode apresentar distintas classificações, em se tratando de um dado enunciado linguístico. Com base nas informações prestadas e, sobretudo, em seus conhecimentos, analise os casos em evidência, com vistas a apontar o tipo de relação estabelecida.

a) Como não tinha se preparado para o exame avaliativo, seu desempenho não foi satisfatório.
b) Realizamos o trabalho como nos foi determinado.
c) Era linda como uma flor, e meiga como um anjo.
d) Não procurava interagir com ninguém, como resultado, foi excluída do grupo.

22) (PUC-SP) No período: “Da própria garganta saiu um grito de admiração, que Cirino acompanhou, embora com menos entusiasmo”, a palavra destacada expressa uma ideia de:

a) explicação
b) concessão
c) comparação
d) modo
e) consequência

23) Analise os pares de enunciados, conectando-os logo em seguida por meio de uma conjunção coordenada que se adéque ao contexto.  

a) São várias as injustiças sociais. Não podemos desistir de lutar por um mundo mais igualitário.
b) Suas escolhas farão toda diferença futuramente. Prossiga rumo à conquista de seus ideais.
c) Somente duas opções lhe restavam. Continuaria omitindo informações, ou revelaria todo segredo à família.
d) Não comparecemos à reunião. Estávamos aplicando testes aos futuros colaboradores.
e) Tente desculpar-se com seus amigos. Depois os convide para um programa agradável.

24) (FUVEST-SP) Nas frases abaixo, cada espaço pontilhado corresponde a uma
conjunção retirada.

1. "Porém já cinco sóis eram passados (.... ) dali nos partíramos."
2 (.... ) estivesse doente faltei à escola.
3 (,,, ) haja maus nem por isso devemos descrer dos bons.
4. Pedro será aprovado (... ) estude.
5 (... ) chova sairei de casa.

As conjunções retiradas são, respectivamente:

a) quando, embora, mesmo que, desde que, ainda que.
b) que, como, embora, desde que, ainda que.
c) como, que, porque, ainda que, desde que.
d) que, ainda que, embora, como, logo que.
e) que, quando, embora, desde que, já que.

25) (UNIMEP-SP) "Apenas se viu cruzando a linha de chegada, começou a gritar de alegria."
Comece com: Começou a gritar de alegria,

a) conquanto.
b) à medida que 
c) tanto que  
d) já que                           
e) contudo

26) .(GV 2012) A relação de sentido que a expressão visto que imprime ao contexto em que se encontra, no último parágrafo, equivale à destacada em:

a) A memória às vezes falha, mesmo a dos mais jovens.
b) Contanto que nada falte aos filhos, ele pode deixar a casa.
c) Tudo fez para nos agradar.
d) O auditório ficou lotado,  tão logo se abriram suas portas.
e) Pode ter um ou dois amigos apenas, pois está quase sempre sozinho.

27) (INSPER 2009)
Considere os versos deste poema:
O mundo é grande
O mundo é grande e (I) cabe
nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e (II) cabe
na cama e (III) no colchão de amar.
O amor é grande e (IV) cabe
no breve espaço de beijar.
(Carlos Drummond de Andrade, Amar se aprende amando. Rio de Janeiro, Record)

A conjunção “e” foi empregada pelo poeta com valor aditivo

a) Em todas as ocorrências.
b) Apenas em I e IV.
c) Apenas em II.
d) Apenas em III.
e) Apenas em II e III.


28) ”Deus não fala comigo, e eu sei que Ele me escuta.” O conectivo “e” pode ser substituído, sem contrariar o sentido, por:

a) ou.
b) no entanto
c) porém
d) porquanto
e) nem

29)  No verso, “Tenta chorar e os olhos sente enxutos”, o conectivo oracional indica:

a) junção de ideias, logo é conjunção aditiva
b) disjunção de ideias, logo é conj. Alternativa 
c) contraste de ideias, logo é conj. Adversativa 
d) oposição de ideias, logo é conj. Concessiva
e) sequência de ideias, logo é conj. Conclusiva. 

30) A oração “Não se verificou, todavia, uma transplantação integral de gosto e de estilo” tem valor:

a) conclusivo
b) adversativo
c) concessivo
d) explicativo
e) alternativo

Gabarito:

1) C  2) E  3) D  4) D  5) E  6) E  7) C  8) B  9) D  10) B  11) D  12) C  13) D  14) B  15) C
16) A  17) D  18) 2 e 16  19) A  20) B    21) a) relação de causa   b) conformidade
c) comparação    d) consequência   22) B  
23) a) São várias as injustiças sociais, contudo não podemos desistir de lutar por um mundo mais igualitário.
b) Suas escolhas farão toda diferença futuramente, portanto prossiga rumo à conquista de seus ideais.
c) Somente duas opções lhe restavam: ou continuaria omitindo informações, ou revelaria todo o segredo à família.
d) Não comparecemos à reunião, pois estávamos aplicando testes aos futuros colaboradores.
e) Tente desculpar-se com seus amigos e depois os convide para um programa agradável.
24) A  25) C  26) E  27) D  28) B  29) A  30) B

Nenhum comentário:

Postar um comentário